BLOG

Análise da Evolução das Taxas Euribor – Janeiro de 2024

A Euribor, indicador crucial no cenário financeiro europeu, apresentou variações notáveis nos prazos de três, seis e 12 meses no último dia de negociação. As oscilações registadas no dia 22 de janeiro refletem mudanças significativas em relação à última sexta-feira e são dignas de atenção no contexto dos mercados financeiros.

A taxa Euribor a três meses, um dos principais referentes para operações financeiras de curto prazo, demonstrou uma redução notável, atingindo os 3,945%. No entanto, o que chama a atenção é que esta taxa, outrora inferior, supera agora as taxas a seis meses (3,925%) e a 12 meses (3,672%), indicando uma inversão nas dinâmicas de curto prazo em comparação com as perspetivas a médio e longo prazo.

Destaca-se, em particular, a taxa Euribor a 12 meses, amplamente empregada em Portugal em contratos de créditos à habitação com taxas variáveis. Após uma fase em que ultrapassou os 4%, entre junho e novembro do ano passado, a taxa subiu para 3,672%, um aumento de 0,017 pontos percentuais desde a última sessão. Este movimento pode influenciar diretamente os encargos financeiros dos mutuários.

No prazo de seis meses, a taxa Euribor também experimentou uma elevação, fixando-se em 3,925%, representando um incremento de 0,017 pontos percentuais. Este aumento, embora não tão acentuado quanto na taxa a 12 meses, contribui para a compreensão de um cenário de maior volatilidade nas taxas de juros de médio prazo.

Dados do Banco de Portugal referentes a novembro de 2023 revelam que a Euribor a 12 meses detém uma significativa participação de 37,4% nos empréstimos para habitação própria permanente com taxa variável. As Euribor a seis e três meses representam, respetivamente, 36,1% e 23,9% desse mercado.

O contexto internacional adiciona uma camada de complexidade a essa análise, uma vez que a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, sinalizou a possibilidade de reduções nas taxas de juros diretoras no verão, dependendo da evolução de indicadores econômicos.

Em síntese, as recentes flutuações nas taxas Euribor apresentam nuances intrigantes nos mercados financeiros, indicando a necessidade de uma monitorização cuidadosa das condições econômicas e das políticas monetárias. A próxima reunião do BCE, marcada para hoje (25/01/2024), pode lançar luz sobre as perspetivas futuras e a abordagem do banco central diante dessas oscilações no ambiente financeiro europeu.

Poderão consultar mais pormenores na página ECO.

Para mais informações, contacte-nos.

Partilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin